Nossa Missão

EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

Meninas, tudo bem? Essa semana nos deparamos com alguns questionamentos no Solte Sua Voz aqui, do site sobre Educação no Trânsito.

Afinal, o que é educação no trânsito? É estudar as leis de trânsito e conhecer o Código de Trânsito Brasileiro?

Educação para o trânsito é uma coisa muito séria e ter o conhecimento sobre o assunto é essencial, até porque, a legislação de trânsito passa por diversas alterações com o passar dos anos. Saber sobre as leis de trânsito só acrescenta ao motorista no cumprimento das regras. 

E ter bons hábitos ao trânsito preserva vidas, evitando acidentes fatais. Nem é necessário dizer que cada um de nós deve fazer sua parte. Vai depender da responsabilidade de cada um, que busca conhecer as normas, as boas práticas, e também é capaz de assumir os deveres.

Fazendo sempre o uso de cortesia e gentileza.

O Ministério da Saúde, registrou em 2019, que o trânsito tirou mais 31.945 vidas no Brasil. Entre esses registros 6.018 foram de pedestres.

O Brasil infelizmente está na quarta posição entre os países recordistas em mortes no trânsito no mundo, de acordo com estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Por isso, a educação no trânsito está baseada em formar crianças, jovens e adultos responsáveis em desenvolver a conscientização sobre os perigos no trânsito quando as leis não são seguidas e infrações são cometidas.

Ignorar ou desrespeitar as leis vigentes contribui para situações que não afetam somente quem comete a infração, pois quem não respeita o limite de velocidade, por exemplo, acaba colocando em risco a vida de outras pessoas, sejam motoristas ou pedestres.

São pequenos detalhes, como usar o cinto de segurança, respeitar o limite de velocidade, faixa de pedestres, usar cadeirinha para carregar crianças, não dirigir sob o efeito de álcool, entre outros. São atitudes simples que, muitas vezes, são abdicadas pelas pessoas e aí que entra a importância das campanhas de conscientização.

De acordo com a Infosiga SP, ter mulheres ao volante é seguro. Durante o primeiro trimestre de 2020, das 91,5 mil carteiras de habilitação (CNHs) suspensas no estado de São Paulo somente 26% pertenciam a condutoras do sexo feminino.

Sabemos também que as seguradoras de veículos praticam valores menores para mulheres motoristas, pois possuem um índice de sinistralidade baixo. 

O estudo “Mulheres no Trânsito” feito pela Seguradora Líder, em 2019, das mais de 353 mil indenizações que foram pagas nos casos de acidentes de trânsito, somente 25% foram para as mulheres. Além disso, elas são responsáveis por apenas 18% dos casos de acidentes fatais.

Independente do gênero do motorista, todos devem ter como atitude primordial o respeito à vida, o que inclui a sua e a dos envolvidos no trânsito nas rodovias e vias, por isso é essencial ser prudente. 

Sabemos que as adversidades são uma constante na vida do trabalho das estradas e por isso, manter um hábito cauteloso é a melhor opção para as situações mais desafiadoras.

Sendo assim, meninas, vamos dar bons exemplos para nossos filhos. Eles serão os motoristas do amanhã.

0 Comentários

Nós utilizamos cookies

Queremos melhorar sua experiência de navegação em nosso site. Ao continuar a utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

OK