Comportamento

A força do trabalho das mulheres nas estradas

Oiê! Tudo bem com vocês? A gente sabe que o transporte de cargas pelas rodovias é um dos mercados que mais está mudando. Por tempos foi marcado pelo trabalho masculino, por ser considerado um local que é necessário exercer força bruta, mas essa ideia está sendo modificada com o passar dos anos, com o aumento da presença da mulher como força de trabalho.

Essas mulheres percorrem caminhos que são as escolhas de poucas, mas que hoje, juntas formam uma bela história e que na porcentagem pode representar uma quantidade pequena, mas no número real é possível ver a expressão do grupo que formam. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN - 2017), mais de 182 mil mulheres são habilitadas a dirigir caminhões no Brasil. 

Em alguns trabalhos, o peso da responsabilidade é acompanhado de toneladas de cargas, mas não se assustem. Atualmente, a carga e a descarga é um processo na maioria das vezes, mecanizado.

“Hoje, é muito difícil ter que fazer força, pois a carga é transportada de maneira fracionada, sendo realizada por máquinas. Além disso, quando é necessário fazer força, geralmente disponibilizam um ajudante, pois não é do interesse de nenhuma empresa que seu funcionário fique machucado e com isso, parado”, explica Daniela Santos, motorista da Jamef.

Cada vez mais a tecnologia cumpre sua promessa de facilitar nossas vidas. Um exemplo são os câmbios automatizados que equipam toda a linha da Mercedes-Benz, o que além de proteger os componentes mecânicos, facilita a operação do bruto pela Caminhoneira, já que o caminhão trocar sozinho as marchas no momento certo.

O caminhão mais tecnológico do mercado brasileiro é o novo Actros. Ele possui diversos sensores monitorando o trem de força do veículo que avisam o momento exato das trocas de óleos e filtros, evitando a realização de checagens periódicas, o que pode ser bem trabalhoso. Outro recurso interessante do novo Actros é o opcional de basculamento da cabine automático, facilitando e muito esta operação em caso de emergência para a motorista.

Ser motorista de caminhão é um trabalho que exige autocontrole, atenção e precisão na direção, sendo que a questão da força física não é mais um empecilho para entrar na profissão, ao contrário do que muitas mulheres pensam.

Pérola Negra, como é conhecida nas redes sociais nas quais é influenciadora, é motorista de caminhão e para ela, nos momentos que é necessário fazer força, o importante é ser inteligente e estrategista para realizar a tarefa. A caminhoneira explica “eu não sou grande e nesses momentos eu sempre falo para as meninas que me perguntam: não é força, mas sim jeito”.

Em verdade, o setor precisa de mais mulheres em posições de liderança, como é o caso das caminhoneiras, para que não só mostrem sua alta capacidade de execução das tarefas e da tomada de decisão, mas também para fortalecer sua presença no setor. 

As mulheres podem pensar muito além dos estereótipos que estão ultrapassados e com isso, terem liberdade para construir em cima de suas habilidades, além da forte resistência física e emocional, carreiras sólidas com segurança. 

A Mercedes-Benz apoia esse posicionamento e por meio do movimento A Voz Delas promove a iniciativa “Na direção dos seus sonhos” que trará oportunidade para as mulheres que sonham em ser caminhoneiras. Confira todo o regulamento em https://avozdelas.com.br/promocao 

Gostou do tema, conta para a gente! A gente quer ouvir a voz das estradas!

Nós utilizamos cookies

Queremos melhorar sua experiência de navegação em nosso site. Ao continuar a utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

OK